Reinventar-se é preciso, porque viver é preciso

3 de abril de 2020

A Faculdade do Vale do Jaguaribe – FVJ, usina de conhecimento e matriz propulsora do desenvolvimento regional com a formação de líderes, parte na frente e abraça o grande desafio da Reinvenção da Educação e da Ressignificação da vida em sociedade na Região do Vale do Jaguaribe. 

No inesperado e convulso contexto atual, a palavra reinventar tornou-se fundamental. É hora de se reinventar!

Tudo muda, tudo evolui, nada fica estagnado. Sejam as tecnologias, as profissões, a formação, o meio ambiente. Seja o ser humano com sua forma de pensar, agir, conviver. Diante de tantas transformações, umas naturais e a maioria nem tanto, resistimos. Afinal, “reinventar” traz em sua raiz a noção de “vir antes”. Como se prevenir diante de um cenário de tantas incertezas? Até por isso, para viabilizar um futuro, reinventar-se é preciso.

Vivemos a realidade da pandemia do coronavírus ceifando milhões de vidas com a COVID-19. Ciente de seu papel regional, a Faculdade do Vale do Jaguaribe – FVJ se reveste do compromisso pela busca e criação de meios capazes de responder com brevidade os anseios acadêmicos de seus alunos, de  garantir o zelo pela sobrevivência de seu corpo docente e administrativo, e de proporcionar à comunidade melhores condições de enfrentamento desse desafio sem precedentes.

Nos últimos dez dias, seguindo decreto do MEC através da Portaria nº 345 de 19 de março de 2020, a instituição precisou reestruturar cem por cento de sua entrega acadêmica presencial, adaptando-a para salas virtuais, criando novos ambientes e formas de interação de seus alunos com os professores, coordenadores e mestres. Nesse meio tempo, lançou projetos como o #EuTuELO fortalecendo o vínculo entre universidade e sociedade através de seus canais de mídia, produz e veicula dezenas de vídeos informativos, criou o serviço de atendimento agendado para alunos, professores e funcionários pelo Núcleo de Apoio Psicológico – NAP e abriu um canal de consulta junto às escolas, prefeituras e empresas da região no sentido de, a partir do diagnóstico das principais demandas observadas, viabilizar atendimento de consultorias e outros serviços de orientação e construção dessa nova convivência, ciente de que, tudo passará, mas a sociedade não será a mesma.

“No meio dessa situação que muito nos comove, entristece e alarma, o NAP deseja instigar as pessoas a buscarem melhores propósitos, a partir da organização pessoal e o autoconhecimento. Afinal, como ser líder e influenciar minha região se não sou líder de mim mesmo? Nesse sentido, inaugurou a campanha #EuTuELO, aonde, em vídeos de um minuto, toda comunidade acadêmica compartilha atividades e sugestões que estão relacionadas com o seu propósito de crescimento nesta quarentena. A ideia é espalhar uma onda boa e de boas práticas. No entanto, pra encontrar o propósito, muitas vezes precisamos nos ouvir. Partindo desse pressuposto, o NAP inaugurou o Plantão Psicológico, que funciona como acolhimento estudantil para aqueles que estão necessitando de uma escuta ativa e implicada. São duas psicólogas disponíveis para toda comunidade acadêmica, organizando-se em turnos específicos”, explicou a Coordenadora do NAP, Bárbara Andrade, que também revelou que os projetos de extensão “Clube da escrita” e “Projeto de vida” em breve lançarão propostas para a comunidade acadêmica. “Assim seguimos com ritmo e paciência, nos adaptando às novas realidades. Contem com a gente! Aqui é seu espaço e muito desejamos que os alunos o ocupem”, completou Bárbara.

“A crise atual é uma oportunidade excepcional para exercitarmos nossa capacidade coletiva de nos solidarizarmos enquanto comunidade de líderes. Nós todos, professores, estudantes, corpo administrativo, estamos preparados. Encontraremos na adversidade o desafio que nos fortalecerá para encararmos o retorno à normalidade pleno de facilidades promovidas pela dedicação deste momento. Vamos dar as mãos. ‘Ninguém solta a mão de ninguém’”, evocou o Diretor-Geral da FVJ, Antonio Henrique Dummar Antero. Já a professora antropóloga, Abda Medeiros afirma: “Ressignificar é preciso, reinventar-se é necessário. Desta forma, a FVJ enquanto um coletivo tem traçado rotinas com sistematização, organização e rigor. A migração das aulas presenciais para os meios digitais em conjunto com as disciplinas institucionais vivenciadas em EAD vem sacudindo corpos, ânimos e fortalezas, tornando o que era “exótico” em “familiar” e vice-versa. Em tempos ordinários temos trabalhado até mais e com uma certeza: ninguém sairá o mesmo indivíduo, mediante esse processo que nós, o Ceará, o Brasil e o mundo vivencia.”

O caminho viável encontrado por escolas e instituições de ensino superior foi a educação a distância (EAD), que a FVJ já utiliza em 20% do total de suas aulas presenciais e pode, pela legislação, ofertar até 40%. Ao fazer uma análise sobre a condição vigente, a coordenadora do Núcleo de Educação a Distância – NEAD da FVJ, Leoneide Barbosa, declara: “Gostaria de ousar e citar a famosa frase: ‘agir local, pensar global’, tão cara aos movimentos de sensibilização para a sustentabilidade ambiental, e muito útil no contexto que atravessamos em que a modalidade “Educação a Distância” (EaD) é convocada a contribuir  para minorar os impactos nos sistemas educacionais pela pandemia COVID-19. Escolas e instituições de ensino superior, gestores, coordenadores, professores e alunos foram forçados a fazer uma migração vapt-vupt, e os desacertos iniciais são, portanto, aceitáveis. A Faculdade do Vale do Jaguaribe já vem estruturando a EAD algum tempo usando os 20% que já nos é permitido no presencial, contamos com uma plataforma estruturada e uma equipe de profissionais que estão atuando nessas frentes. Com o ambiente AVA estruturado com aulas, vídeo aulas, atividades, tutorias de acesso e navegação bem como vários canais de atendimento ao aluno e professores em orientação constante. Mas agora que já percebemos que o distanciamento social será longo, cabe a todos buscar apoio sem simplesmente reproduzir o que fazemos nas salas de aula. O vírus poderá deixar um legado positivo para a educação com a incorporação de características e lições importantes da EAD para a educação presencial e, assim, quem sabe, caminharmos ainda mais para uma educação verdadeiramente híbrida, que é para onde todas as bússolas já apontavam.”

Em 21 anos de história, a maioridade da Faculdade do Vale do Jaguaribe vem revestida de um ritual jamais imaginável: o de abraçar as angústias que pairam sobre nossa sociedade e transmutar esse sentimento como ignição para um  grande salto de qualidade nas relações humanas, nos contratos sociais, na educação para a vida e na percepção cada vez mais nítida nesse isolamento: a de que as nossas asas estão no abraço do outro. Que muito em breve, fortalecidos, reinventemos nossos voos num, também inimaginável, abraço coletivo.

#SomosTodosFVJ

Visita da Secretária de Saúde de Aracati ao campus da FVJ Encontro ocorreu na manhã de hoje (21).
21 de setembro de 2021
II CEFS e suas contribuições para as discussões sobre o profissional de Educa... Evento aconteceu entre os dias 31 de agosto a 03 de setembro, em modalidade híbrida.
17 de setembro de 2021